Manifesto

Manifesto.JPG

EDUCAÇÃO É UM DIREITO,
TRANSPARÊNCIA É UM DEVER!

Vivemos no Brasil uma conjuntura dramática, na qual a universidade pública brasileira se vê fortemente ameaçada. Diante da crise econômica e política instaurada, as falsas “soluções” propostas pelos governantes consistem em retirada de direitos, seja por meio das reformas trabalhista e previdenciária, ou pelo congelamento por duas décadas dos investimentos em saúde e educação.

As Universidades públicas brasileiras vivem um processo de desmoralização diante de ações maliciosas induzidas por relatórios tendenciosos do Banco Mundial. O projeto neoliberal consiste em decretar o fim do ensino superior público e gratuito, colocando no lugar um “escolão de terceiro grau” privatizado. Isso implicaria no fim da pesquisa e da produção acadêmica no Brasil, inviabilizando o desenvolvimento científico e tecnológico do país.

Justamente neste delicado contexto, a UFSC enfrenta uma severa crise por conta dos últimos acontecimentos, causando forte insegurança em relação ao futuro.

Surgiram diversas angústias e questionamentos, tanto acerca das ações de órgãos externos, quanto internos – seja na apuração das denúncias feitas ou no modo com que se lidou com a sucessão do cargo de reitor. No caso do Hospital Universitário (HU), após a implementação da EBSERH, desconsiderando o resultado da consulta pública, a situação é pior do que há dois anos, quando essa era apresentada como a salvação imediata de nosso hospital escola.

Manifesto 2Professor Irineu Manoel de Souza

Há perguntas que não silenciam: “como a UFSC sairá dessa crise? O que fazer diante de tamanha insegurança?” Nossa convicção é que em tempos de fortes dúvidas precisamos ousar! Não nos cabe permitir uma superficial normalidade, devemos nos propor a construir coletivamente um novo projeto de universidade.

Precisamos de um projeto fundamentado em princípios visando: consolidar a democracia universitária, considerando sua pluralidade e os diversos movimentos que dela fazem parte, combatendo todas as formas de opressão; que garanta novas e efetivas práticas de debate e de tomada de decisão; que se aproxime da sociedade e de suas demandas; que valorize o papel dos servidores técnicos e docentes; que garanta a permanência e formação de qualidade dos estudantes; e a produção e socialização do conhecimento.

Precisamos de um programa que entenda a autonomia universitária não como um conjunto de palavras vazias ditas só quando nos é favorável. É necessário exercer a autonomia acadêmica e administrativa de forma ativa, agindo principalmente a favor da transparência e da legalidade dos atos como um princípio e dever.

A partir desse entendimento, acreditamos que não basta boa vontade para o futuro reitor. É preciso uma trajetória pessoal e profissional ligada a compromissos sociais e atitudes compatíveis com a democracia e com o interesse público, além de experiência e capacidade para enfrentar tamanhos desafios.

Por isso, nos valemos deste manifesto para apresentarmos à comunidade universitária o nome do Professor Irineu Manoel de Souza como pré-candidato à reitoria da UFSC. Professor doutor, atual Diretor do Centro Sócio Econômico (CSE), com trajetória superior a 40 anos de atuação na UFSC, tendo sido estudante, Técnico-Administrativo em Educação e Docente. Professor Irineu possui mestrado e doutorado na área de administração universitária, atuando na graduação e nos programas de mestrado e doutorado, bem como em projetos de pesquisa e de extensão.

A história mostra que Professor Irineu esteve aberto ao diálogo e do lado das mais diversas lutas em prol do interesse público, posicionando-se claramente e com coragem em momentos polêmicos como: os cortes de verbas impostos pelo MEC às universidades federais; na defesa do HU 100% SUS; na defesa da ampliação do atendimento à comunidade com jornada de 30 horas semanais para todos servidores técnicos com controle social. Sempre foi protagonista na ampliação da democratização da gestão universitária e posicionou-se com clareza contra propostas de retrocesso democrático nos processos eleitorais. A trajetória do Professor Irineu representa a construção cotidiana de um modelo de universidade pública, gratuita e de qualidade.

Queremos fazer um convite para você: Docente, Técnico-Administrativo em Educação, Estudante, Cidadão que confia na educação como um agente de transformação da sociedade, para participar desse processo junto a todas e todos que, assim como nós, acreditam na construção de uma universidade que cumpra com sua função social e seja mais humana, autônoma, transparente, inclusiva e democrática!

Manifesto construído por Docentes, Técnicos, Estudantes e Membros da comunidade externa.

Florianópolis, 21 de dezembro de 2017.