Democracia Universitária

  • Implantar e acompanhar o orçamento participativo na UFSC.
  • Publicizar os critérios e formas de decisão de alocação dos recursos na UFSC.
  • Desenvolver e definir a matriz de distribuição de pessoas a partir de critérios objetivos e impessoais.
  • Incentivar a ampliação da representatividade de TAEs e estudantes nos órgãos colegiados.
  • Promover consultas públicas, referendos, plebiscitos e outras formas de participação da comunidade universitária quando necessário.
  • Propor assembleias universitárias como instâncias consultivas e deliberativas.
  • Atuar em nível federal pela alteração da LDB na defesa da paridade entre as três categorias na composição de órgãos deliberativos centrais das IES.
  • Instituir eleições para escolha de dirigentes nos Órgãos Suplementares da UFSC.
  • Propor o sorteio como forma de distribuição dos processos nos conselhos deliberativos superiores da UFSC.
  • Implantar o Sistema Eletrônico de Controle Social de Assiduidade aos TAEs, inclusive no HU.
  • Realizar um amplo debate com a comunidade universitária sobre os critérios das consultas e eleições da instituição.
  • Propor junto à Andifes e ao MEC a alteração do sistema 70/30.
  • Propor um processo de gestão democrática e pública na relação da UFSC com suas Fundações de apoio, e fiscalizar prestações de contas e recredenciamentos.
  • Fortalecer a Ouvidoria da UFSC.

Por tudo isso, no dia 28 de março vote #80, IRINEU REITOR!